Arquivo da tag: frivolidades

Da praga ao luxo

BolsaEstá em O Globo, hoje, dia 17. Antes considerado uma praga, campim vira matéria-prima para artigos de extremo bom gosto. São exemplos de produção e consumo sustentáveis, mesmo que não sejam feitos na escala supersônica que o consumo mundial demanda.

Dom Viçoso, em Minas Gerais, tinha 3.118 habitantes em 2004. Em 2007, havia 3.020. Caxambu tinha 23.482 habitantes em 2004 e diminuiu para 21.009 três anos depois. Em Soledade de Minas, a população era de 5.271 pessoas em 2004 e cresceu para 5.518 em 2007.

A bolsa aí em cima gera empregos para 150 mulheres, como informa O Globo. Não sei o preço dela, mas em Caxambu, um portal vende alguns modelos com um preço bem acessível: R$ 15. Não testei a compra, nem pelo telefone nem pelo sistema online.

Anúncios

Na hora do almoço, conflitos de gerações e classes

Hora do almoço, na padaria, muitas crianças, muito barulho, por causa de muitas escolas particulares próximas. Na TV, jornalismo faz cobertura ao vivo no enterro do Lombardi, auxiliar de programas de Silvio Santos, do SBT. Na mesa do lado, entre as crianças:

– (criança 1) Você viu, o Lombardi morreu.

– (criança 2) Eu vi na internet.

– (criança 3) Quem é Lombardi?

Depois no nítido exemplo de conflito de gerações, na hora de pagar a conta, surge um conflito de classe entre a operadora do caixa e outra criança:

– (criança 4) Moça, quanto é a bala?

– (caixa) 5 centavos.

– (criança 4) Então quero três balas, por vai sobrar 15 centavos (ao entregar uma nota de 5 reais).

– (caixa) Então você pode pegar 11 balas, porque seu troco não é 15 centavos, é 55 centavos!

E fuzilou, indignada, pensando alto:

– (caixa) Paga R$ 2 mil por mês na escola dele e não sabe fazer conta!”

Estão roubando de tudo, até minha calçada!

É, eu pensei que já tinha visto de tudo nesta vida. Estão roubando de tudo mesmo. Esta foto aí é da minha calçada, hoje, por volta de 19h30. Reparem na pedra de ardósia do centro: ela não existe mais. Hoje de manhã, ela estava lá. Tudo bem que a grama nã está tão bem cuidada, mas não precisava de tudo isso. A vida deve estar mesmo difícil – estão roubando até calçadas!

CIMG3744