Arquivo da tag: BP e Exxon Valdez

Quanto óleo vazou no Golfo do México?

Dias atrás, o Café Expresso publicou informações que tentavam comparar o tamanho dos vazamentos de óleo ocorridos no Golfo do México (BP, 2010) e no Alasca (Exxon Valdez, 1989).

A conta continua incerta, mas uma reportagem no The New York Times mostra que cientistas do governo federal norte-americano calculam que o volume derramado no mar pode chegar a 5.000.000 de barris (cinco milhões de barris), o equivalente a 210.000.000 de galões de óleo (duzentos e dez milhões de galões).

O Exxon Valdez, como já mencionado em artigo anterior, o petroleiro Exxon Valdez carregava cerca de 53.094.510 milhões de galões (equivalente a 1.264.155 barris de óleo), dos quais foram derramados cerca de 10.800.00 de galões, o equivalente a 257.000 barris.

A conta certamente ainda levará alguns meses ou anos para ser ratificada com precisão maior.

Veja mais: Um infográfico interativo elaborado pelo Financial Times mostra,  desde abril, estimativas da quantidade de óleo recolhida do mar e os custos para a limpeza do desastre ambiental ocorrido no Golfo do Méxido.

Em 1989, Exxon Valdez derramou 10,8 milhões de galões de óleo no Alasca. E a BP, agora, no Golfo do México?

O Exxon Valdez, até então considerado o maior desastre ambiental na indústria mundial do petróleo, carregava 53,1 milhões de galões de óleo quando foi avariado após colidir com gelo perto do Alasca, em 1989. Cerca de 20% da carga derramou no mar (algo em torno de 10,8 milhões de galões de óleo), de acordo com um relatório da Alaska Resources Library & Information Services (Arlis) a partir da coleta de dados em diferentes fontes.NYTimes óleo

A instituição apontou que ninguém sabe quantos animais foram mortos de fato,  mas que foram encontradas restos de 35.000 aves e cerca de 1.ooo animais marinhos que teriam sido mortos por causa do desastre. De tudo o que foi derramado, 14% foi recolhido.

WashPost óleo

No Golfo do México, BP, empresa responsável pela prospecção no poço, informou ter conseguido fechá-lo após 87 dias de vazamento contínuo, desde o dia 20 de abril, quando houve uma explosão no fundo do mar, na cabeça do poço.

O tamanho do desastre no Golfo do México ainda é incalculável. O governo norte-americano e a própria empresa divulgaram diversas estimativas até o momento, com larga margem de tolerância. No dia 11 de junho, o jornal britânico The Guardian publicou reportagem com a opinião de cientistas, que estimam que o vazamento fez jorrar no mar um volume entre 42 milhões e 100 milhões de galões de óleo.

Uma simples, porém completa e eficiente infografia do jornal norte-americano The Washington Post mostra que, no Golfo do México, estimativas governamentais divulgadas em junho apontam que podem ter vazado entre 1,47 milhão e 2,52 milhões de galões de óleo por dia. Isso produziria um volume extremamente gigantesco de óleo no mar.Info BP oil

A infografia é eficiente porque resumiu dezenas de dados de forma cronológica para contar a evolução da notícia: as tentativas da empresa para conter o vazamento, a quantidade de visitas do presidente norte-americano Barak Obama ao local, o volume de óleo que vazou e as ações do governo.

A sociedade internacional ainda terá de esperar um bom tempo para conhecer estimativas realistas e críveis da quantidade de óleo que vazou no Golfo do México. De certo, apenas que esse acontecimento é de longe o maior desastre ambiental da história da indústria petrolífera.

Observação: fiz uma pequena mudança no título, para melhorá-lo, conforme crítica do leitor nos comentários.