Arquivo do mês: janeiro 2019

Mapas podem frustrar caso não tragam marcos descritos nos textos

Recente reportagem do jornal Folha de S. Paulo mostra os desafios do novo time à frente do governo federal para concluir uma obra emblemática para a segurança hídrica e para o desenvolvimento da Região Nordeste: a transposição do rio São Francisco. Os repórteres visitaram cidades no entorno da obra para avaliar a evolução do projeto, capturar as expectativas das pessoas que moram nas localidades e analisar a perspectiva de conclusão da obra, superlativa em muitos aspectos.

Um mapa enriquece a reportagem. Mas, infelizmente, indica apenas parte das localidades e instalações de infraestrutura descritas no texto e nas legendas das fotografias. É presumível: o mapa é pequeno e falta espaço para listar todas as cidades e informações de caráter geográfico, há pressa no fechamento do jornal, pode haver poucos profissionais disponíveis com a habilidade de produzir mapas – ou tudo ao mesmo tempo. Mas a falta de precisão pode gerar frustração.

O mapa cita:

  • Cidades: Natal (RN), João Pessoa (PB), Recife (PE), Cabrobó (PE), Penaforte (CE), Juazeiro do Norte (CE), São José de Piranhas (PB) e Cajazeiras (PB).
  • Marcos geográficos: rio São Francisco
  • Instalações de infraestrutura: Barragem de Sobradinho, Eixo Norte e Eixo Leste (da transposição do rio São Francisco).

Mas o mapa não cita outros municípios, marcos geográficos e instalações de infraestrutura que estão no texto:

  • Cidades: Floresta (PE) e Campina Grande (PB).
  • Marcos geográficos: Região do Cariri (CE) e Chapada do Araripe (na divisa dos estados do Ceará, Piauí e Pernambuco).
  • Instalações de infraestrutura: Açude Poções (PB), represas na Paraíba e reservatório de Fortaleza (CE).

O mapa serve certamente para orientar o leitor durante a descrição existente no texto da reportagem, pois mesmo as pessoas familiarizadas com os detalhes geográficos da região podem ter dificuldades que visualizar mentalmente o percurso das obras.

A reportagem é faz parte de uma cobertura especial de duas páginas publicada em um domingo, o que permite especular que houve tempo para planejar um mapa completo – e até maior.