Opinião a gente respeita. No pós-Copa, leitor volta a pensar mais na saúde e menos no futebol


Carta FSPApós o frenesi por causa da realização da Copa do Mundo no Brasil em 2014 e por causa da imensa exposição que a mídia deu ao evento, os brasileiros começaram a dar atenção novamente para os temas do cotidiano, como segurança, saúde e educação, entre outros assuntos.

Uma das notícias que chamaram a atenção das pessoas foi o fechamento temporário do setor de pronto-socorro médico da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o hospital mais antigo da cidade, aberto ao público em 1884. O setor realiza cerca de 1.500 atendimentos diários.

O hospital paulista tem orçamento anual de R$ 1,3 bilhão, dívidas acumuladas de R$ 350 milhões, 2.510 leitos e 18.000 funcionários. Ao ano, realiza 3,5 milhões de atendimentos médicos e 6,0 milhões de exames. No Brasil, há 383 Santas Casas, com uma dívida total acumulada de R$ 15 bilhões.

Os leitores avaliam que a mídia dá mais espaço ao novo técnico da seleção do que à crise no importante hosítal paulista. E que o dinheiro público deveria ir prioritariamente para hospitais, e não apra estádios de futebol.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s