Nos EUA, dados públicos abertos incentivam novos negócios. Quais os princípios por traz disso?


EUA DataGov

Reportagem do jornal norte-americano The Wall Street Journal traz informações e exemplos bastante esclarecedores sobre o poder de criação de novos negócios, empregos e empresas em torno das políticas governamentais de abertura de informações públicas para a sociedade.

Na cidade de Seatle, mais de 200 diferentes tipos de informações já foram disponibilizados em um site do governo municipal para serem usados por programadores, desenvolvedores ou quaisquer profissionais interessados em transformar os dados públicos em novos aplicativos que ofereçam aos cidadãos e usuários serviços inovadores – independentemente se estes serão gratuitos ou não. Outros 75 tipos de dados públicos devem ser liberados ou abertos em 2014.

Nos Estados Unidos, a política governamental de abertura de dados públicos para a sociedade ganhou impulso com o presidente Barak Obama, que incentivou agências e repartições públicas a aderirem ao movimento e disponibilizarem ao público vários tipos de dados governamentais que poderiam facilitar a criação de novos negócios ou prover mais serviços públicos às pessoas. Isso ocorreu em 2009.

Desde então, aproximadamente 175 agências federais disponibilizaram para a sociedade mais de 88.000 bancos de dados em um portal federal. Paralelamente, quase 50 cidades passaram a fazer o mesmo.

Seattle DataGov

Aspectos culturais – Dois aspectos surgem ao ler o resultado da política norte-americana relatada pela reportagem publicada pelo The Wall Street Journal. Primeiro, como os jornalistas mostram, há sempre o receito que as informações particulares ou individuais sejam mal-utilizadas, para a prática de crimes ou atos constrangedores.

O segundo aspecto é que as “open data public policies” – as políticas públicas que visam estimular os governos a disponibilizarem dados governamentais para a sociedade – devem, conceitualmente, ganhar impulso natural em países ou cidades nos quais há histórico liberal, seja no comportamento e na cultura, seja na política e na economia. Nesses locais, as pessoas costumam crer que são os motores do crescimento devem ser os indivíduos e as empresas.

Em locais nos quais a sociedade crê que o Estado deve ser tanto provedor de serviços quanto indutor de transformações, a consciência dos cidadãos sobre a importância e os benefícios das “open data public policies” tende a ser menor, o que implicará, automaticamente, em pressão reduzida em torno dos governantes para abrirem dados públicos.

Dois princípios – Vale sempre lembrar de dois princípios por traz dos movimentos de abertura de dados públicos: informações privadas dos cidadãos permanecem sigilosas e informações públicas (locais de ocorrências de crimes, informações sobre fiscalização de restaurantes e bares, dados sobre segurança e conformidade predial das empresas), que são coletadas e organizadas com os recursos orçamentários providos pela sociedade, podem retornar para as pessoas.

Anúncios

Uma resposta para “Nos EUA, dados públicos abertos incentivam novos negócios. Quais os princípios por traz disso?

  1. Pingback: Info-Links da Semana [21] | Visual Loop Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s