Na cobertura da morte de Nelson Mandela, imprensa esqueceu de Steve Biko – mas os leitores, não


Foram incontáveis as páginas de jornal e minutos de rádio e televisão dedicados à cobertura do falecimento de Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul e ativista pelo fim do regime de segregação naquele país – o ‘apartheid’. O líder sul-africano tinha 95 anos e estava muito doente havia meses. A imprensa se adiantou e antecipou o levantamento de informações.

A busca por informações sobre a vida de Nelson Mandela foi, obviamente, imensa. Não só dele. Steve Biko, líder sul-africano que também se engajou na luta contra o ‘apartheid’ naquele país, morto aos 30 anos, em 1977, pela política da África do Sul, também foi alvo da curiosidade das pessoas.

A imprensa, no entanto, não capturou essa ânsia por informação do público e não produziu nenhuma reportagem. Enquanto a procura pelos verbetes do ativista menos conhecido continuou bastante acima da média, na trilha da cobertura global sobre a vida de Mandela, os três principais jornais do Brasil – Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo – ignoraram a vida de Steve Biko. Os dois  primeiros não citaram nenhuma vez o ativista morto em 1977. O diário fluminense, ao menos, o citou em uma matéria com viés cultural.

Nelson Mandela – No dia 6 de dezembro, logo após a morte de Mandela, ocorrida dia 5, o verbete em português ‘Nelson Mandela’ na Wikipédia foi visto por 171.389 pessoas, contra média de 1.800 visitas diárias antes. Em alemão, por mais de 249 mil pessoas, contra menos de 2 mil visitas/dia antes. Em francês, por mais de 380 mil pessoas, contra menos de 3 mil, em média diária, antes.

Já o verbete em inglês foi visto por 2,7 milhões de pessoas dia 6, dia seguinte da morte de Mandela, contra média diária de 8 a 10 mil antes. O verbete em espanhol foi lido por mais de 635 mil pessoas no dia 6, contra uma média inferior a 4 mil visitas antes do falecimento de Mandela.

Steve_BikoSteve Biko – O verbete em português de Steve Biko, ativista anti-apartheid morto em 1977, obteve 1.969 visitas dia 6 (menos de 50 visitas/dia antes do falecimento de Nelson Mandela). Já o verbete em inglês foi visto por 27 mil de pessoas dia 6, dia seguinte da morte de Mandela, contra média diária de 700-800 visitas antes.

Em francês, o verbete de Steve Biko foi procurado por 5.658 pessoas dia 6, contra cerca de 100 visitas por dia antes do dia 5. Em alemão, a média diária de leitura aumentou de menos de 50 (antes do dia 5) para quase 1.000 no dia 6.

Sugestão de pauta – Mandela, líder reconhecido mundialmente, obteve na Wikipédia uma audiência que corresponde a 100 vezes à de Steve Biko em língua inglesa e 87 vezes em português. Os dados sobre audiência justificam o tamanho da cobertura dada a Mandela, mas não a audiência de espaço para Biko. Os leitores deveriam saber que Mandela, apesar de figura maior, mas não foi o único a brigar contra o ‘apartheid’. Anida há tempo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s