Qualidade da água: nos EUA eles já sabem como é. E no Brasil?


Deu no The New York Times: desde 2004, mais de 49 milhões de americanos receberamm água com qualidade inferior do que determina lei federal. A descoberta foi feita por um jornalista do próprio jornal que analisou informações de um banco de dados federal. Boa parte da população vem consumindo água com concentrações de arsênico, substâncias radioativas ou bacterías encontradas em esgoto. O órgão regulador dos serviços, mesmo informado de todos os casos irregulares quando eles ocorreram, aplicou multas ou punições para somente 6% deles. Sim, estamos falando dos EUA.

NYT qualidade da água

Lá, eles têm um órgãos regulador federal, que disciplina algumas responsabilidades para 54.700 sistemas de águas. Aqui, no Brasil, não há um órgãos regulador federal, mas sim poucas agências reguladoras estaduais ou municipais, que começaram a surgir, principalmente, depois da sanção de uma lei federal que estabeleceu diretrizes federais. A ANA – Agência Nacional de Águas – brasileira não tem as mesmas incumbências da EPA – Environmental Protection Agency – dos Estados Unidos, mas exerce algum papel similar.

Que tal a imprensa analisar a qualidade da água nos estados brasileiros? Difícil será achar dados. Há alguns dados disponíveis. A ANA lançou ontem, dia 8, o Atlas de Abastecimento Urbano de Água. O documento revela as condições dos mananciais e sistemas de produção em 2.965 cidades do país, das quais 1.896 requerem investimentos em água (que somam R$ 18,2 bilhões) e 1.517 precisam de investimentos em tratamento e coleta de esgoto (R$ 23 bilhões). São dados quantitativos, mas já são um início.

Outra fonte pode ser o SNIS (Sistema Nacional de Informações de Saneamento). Infelizmente, só apresenta informações quantitativas e, mais infelizmente ainda, é preenchido pelos próprios operadores de água e esgoto, o que pode colocar em risco a confiabilidade dos dados. Mas também é parte do início de uma apuração. A apuração, além disso, pode dar relevância ao fato de que a população não tem à disposição indicadores públicos que assegurem a qualidade da água que sai pela torneira de cada residência brasileira.

Milhões de brasileiros tomam água da torneira porque confiam na qualidade da água entregue pela rede de distribuição. Essa confiança merece uma boa reportagem para prevalecer ou ser abalada definitivamente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s